quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A fofoca é real, mas publicá-la não é uma descrição objetiva da realidade.

Por isso, principalmente em ano eleitoral, cuidado com jornalismo sem apuração, sem confrontar discursos com dados.

A gente não atira no "basso":

Nada. Apenas o exercício do jornalismo. Não se pode dar uma notícia dessas na base do "parece que" ou "tudo leva a crer"... Afinal, poderia ser outro avião que caíra em Santos, tendo o de Eduardo Campos feito um pouso de emergência sabe-se lá onde.

Impossível? Muita coincidência? Mas já tínhamos exatamente isso -  uma história impossível, que estava acontecendo bem diante de nossos olhos.

Real Reporting Is About Revealing Truth; Not Granting 'Equal Weight' To Bogus Arguments | Techdirt:

Bad journalists seem to think that if someone is making a claim, you present that claim, then you present an opposing claim, and you're done. They think this is objective because they're not "picking sides." But what if one side is batshit crazy and the other is actually making legitimate claims?

 

sábado, 16 de agosto de 2014

Quem fará passeata por esses mortos?

Iraqi civilian death toll passes 5,500 in wake of Isis offensive | World news | The Guardian:

The violence in Iraq has killed more than 5,500 civilians over the first six months of the year, according to a report by the United Nations that documents the massive humanitarian toll of the Sunni militant offensive.

Estado Islámico ejecuta a más de 700 personas en Siria en 2 semanas:

Los yihadistas del Estado Islámico (EI) han ejecutado a más de 700 personas, en su mayoría civiles, durante las últimas dos semanas en el este de la provincia siria de Deir al Zur (noreste), según confirmó el Observatorio Sirio de Derechos Humanos (OSDH). (...) Además, el OSDH asegura haber podido documentar los nombres de decenas de esas víctimas y señala que cientos de los ejecutados por el EI fueron sacrificados después de sus familias, y les cortaron la cabeza para luego mostrarla en lugares públicos.

.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Notícias e números da semana

Fiscais de São Paulo são investigados por desviar impostos de 410 obras

Um documento apreendido com um dos auditores fiscais da prefeitura de São Paulo, suspeitos de fazer fortuna ao receber propina de construtoras na capital paulista, mostra que ao menos 410 empreendimentos fizeram parte do maior esquema de corrupção descoberto nos últimos anos na cidade. (...)
A suspeita inicial era que um grupo de seis auditores da prefeitura cobraria propina das construtoras para que elas pagassem apenas metade do Imposto Sobre Serviço (ISS). Por exemplo, uma empresa que estava construindo um prédio e tinha de pagar 100.000 reais em ISS, entregava 50.000 reais aos auditores suspeitos. Esse valor era dividido da seguinte forma: 30.000 reais para o grupo que agora está sendo investigado, 10.000 reais para despachantes e apenas 10.000 reais caíam nos cofres públicos como impostos.

A corrupção nossa de cada dia (mas quem discorda desse subjetivismo, dessa obediência à la carte, é legalista, é reaça, já viu...)

A previdência social, uma das áreas mais afetadas pelo “jeitinho”, descobriu, apenas em 2013, 56 fraudes que causaram um prejuízo de 82 milhões de reais aos cofres públicos, afirma o Ministério da Previdência Social. O dinheiro estava sendo destinado para pessoas que passaram a receber benefícios depois de apresentarem documentos falsos, como atestados médicos ou comprovantes de união estável.  (...) Uma pesquisa feita pelo Centro de Referência do Interesse Público (CRIP) da Universidade Federal de Minas Gerais mostrou em 2009 que 77% dos entrevistados acreditavam que a corrupção é um problema grave no país. Ao mesmo tempo, 35% delas concordaram que atitudes como sonegar impostos, quando eles são caros, podem ser erradas, mas não corruptas. “Não é que as pessoas não percebam que são erradas. O que elas fazem é justificar esse erro por conta de alguma coisa que diga respeito aos seus interesses e necessidades mais imediatas. A questão que envolve o problema da corrupção é essa ambivalência dos valores”, afirma Fernando Filgueiras, coordenador do centro.

Um ano depois da descoberta do escândalo estrelado por Lula e Rose, o país continua querendo saber quem fez o quê

Escalada para agir no núcleo especializado em tráfico de influência ─ um dos três em que o bando se dividia ─ Rose valeu-se das relações íntimas que mantinha com Lula para a consumação de irregularidades suficientemente numerosas para promovê-la ao cargo informal de “Facilitadora-Geral da República”. A boa vida acabou em 23 de novembro de 2012, quando a Polícia Federal, munida de um mandado de busca e apreensão, invadiu o escritório e a casa da protegida de Lula.

Passado um ano, o acervo de reveses é de bom tamanho. A perda do salário de R$ 12 mil é a menos relevante. Uma mesada negociada com Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, tem livrado a desempregada de dificuldades financeiras. O que a transformou numa mulher amargurada foi a perda de outros privilégios que lhe garantiam a vida de segunda-dama.

Deixou, por exemplo, de viajar no Aerolula, a bordo do qual fez 28 viagens internacionais em companhia do presidente como passageira clandestina, deixou de ser convidada para hospedar-se no Palácio Pamphili, a esplêndida relíquia arquitetônica que abriga a embaixada brasileira em Roma. Perdeu até o direito aos mimos que levaram a Polícia Federal a qualificá-la de petequeira. Essa expressão, utilizada nos meios políticos e empresariais, designa quem se deixa corromper por ninharias, como ingressos para camarotes no Carnaval do Rio de Janeiro, cruzeiros no litoral paulista, financiamentos de pequenas cirurgias ou apartamentos.

Um terço na Bahia depende do Bolsa Família (via Implicante)

O aumento médio de inscrições é de 100 mil famílias por ano. Neste ano, até novembro, foi registrado um crescimento de 300 mil. "O maior acesso a informação sobre o programa facilitou o cadastro, contribuindo para o aumento. Outro fator é o enquadramento de mais pessoas às exigências do MDS", explica a coordenadora regional do Bolsa Família, Luciana Santos. Oito milhões de pessoas estão inscritas no cadastro único do governo federal, o que equivale a 58% da população do Estado, segundo a coordenadora que também informa que a inscrição não assegura o recebimento do benefício. Dados do MDS atestam que, em novembro deste ano, o valor total transferido às famílias atendidas alcançou R$ 244 milhões.  (...)

Avena lembra que esse crescimento mostra, por outro lado, uma faceta negativa: o seu caráter assistencialista e sem políticas que contribuam para os participantes se tornarem  autossuficientes. Para o economista, o governo federal ainda não conseguiu dimensioná-lo como um plano de caráter emergencial e temporário, conforme a proposta inicial. "O aumento do número de pessoas cadastradas é a prova de que o programa não está funcionando. Se é emergencial, deveria exibir, gradualmente, uma redução do número de famílias inscritas".

 'O dogmatismo é uma doença da esquerda', diz Mujica

O dogmatismo é uma doença crônica da esquerda latino-americana. Acreditamos que somos possuidores de uma verdade absoluta. A esquerda tem a doença de sempre ser apaixonada pelos modelos em que acredita. Mas se penso que meu vizinho deve pensar como eu, estamos fritos.

Governo não entrega 22 obras da Copa, mas mantém benefícios (via Implicante)

O Governo Federal anunciou na última segunda-feira a retirada de mais 14 obras da chamada Matriz de Responsabilidade da Copa do Mundo. Com isso, chega a 22 o número de projetos que receberam benefícios e incentivos para ficarem prontos até o Mundial, mas que só serão entregues após o torneio. A retirada deles da lista oficial de projetos da Copa, aliás, não reduziu as vantagens concedidas pelo governos às construções. As obras retiradas da Matriz de Responsabilidade seguem gozando dos mesmos juros especiais em financiamentos públicos, parcelamentos a perder de vista e o RDC (Regime Diferenciado de Contratação), que simplifica o processo de licitação definido na Lei 8.666. Além disso, não sofrerão qualquer penalidade em caso de atrasos.  (...)

Todos os projetos em estádios foram mantidos e tiveram, inclusive, seu orçamento ampliado, e muito. Em janeiro de 2010, as obras deveriam custar R$ 5,9 bilhões. Hoje, a estimativa é que custem R$ 8 bilhões. (...) À época, as assinaturas dos governantes foram vistas como um compromisso para a execução dos projetos e como uma garantia de tratamento diferenciado para as obras ali listadas. Era, antes de de tudo, uma garantia de que o chamado legado da Copa realmente existiria. Hoje, porém, os governos estaduais e municipais não tem mais a obrigação de executar dentro do prazo as obras a que se comprometeram para a Copa do Mundo. Após descumprirem tal condição, essas administrações podem seguir com seus projetos sob as mesmas condições, abastecidos por linhas de crédito subsidiadas do BNDES e da Caixa Econômica Federal.

 Mulheres são as mais afetadas pelo consumo de drogas na família, diz pesquisa

As mulheres são as mais afetadas pelo consumo de drogas na família. De acordo com levantamento apresentado hoje (3), elas são a maioria (80%) a sofrer os impactos negativos, sejam eles psicológicos ou financeiros, do vício. Das mulheres afetadas, 46% são mães de usuários, sendo que 66% delas são consideradas "chefes de família". Metade delas sofre de problemas físicos ou psicológicos em decorrência do consumo de drogas pelo filho.

Editorial ZH: Um dilema nacional

Divulgado dois anos depois do lançamento do programa federal Crack, é Possível Vencer, que se comprometia, entre outros aspectos, a garantir assistência para dependentes, o estudo mostra um quadro ao mesmo tempo desolador e desafiador. Nada menos de 28 milhões de brasileiros, por exemplo (...) convive com algum usuário. Em muitos casos, essas pessoas são submetidas constantemente a agressões verbais e até físicas, têm seu patrimônio pessoal dilapidado e sofrem pressão psicológica constante, a ponto de muitas se abalarem emocionalmente com gravidade. (...)

Alguns dados apontados pela pesquisa não deixam dúvida sobre o grau de desestruturação familiar em consequência do problema: nada menos de 58% dos entrevistados com algum usuário de drogas na família, por exemplo, têm afetada a habilidade de trabalhar ou estudar. E, o que é igualmente preocupante, 29% dos que foram consultados estão pessimistas quanto ao seu futuro imediato.

Brasil cai pela 3ª vez seguida em ranking de solidariedade

Pelo terceiro ano seguido, o Brasil recua posições em um ranking mundial que mede a solidariedade da população. O dado de 2013 mostra que país é o menos generoso da América Latina, ao lado da Venezuela, e o 91º entre todas 135 nações analisadas. (...) O que tem puxado o Brasil para baixo no ranking --em 2009 estava na 54ª posição-- é o item que analisa "ajuda a desconhecidos". Em 2008, 51% da população praticava esse tipo de ação. Agora, 42%.

Educação no Brasil evolui, mas resultados no Pisa não são expressivos, analisam especialistas

O Brasil ocupa o 58º lugar em matemática, o 55º lugar em leitura e o 59º lugar em ciências em um ranking de 65 países no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) 2012. O cenário não é muito diferente do de 2009, quando o país assumiu a 53ª posição em leitura e ciências, e o 57º lugar em matemática. (...) Nos três casos, no entanto, o país está abaixo da média dos países da OCDE e a maior parte dos estudantes tem conhecimentos básicos nas áreas. Em matemática, 67,1% estão no nível 1 ou inferior, ou seja, são capazes de fazer operações básicas e resolver problemas simples. Apenas 1,1% dos estudantes está no nível 5 ou 6 - o máximo - de proficiência.

América Latina ocupa as últimas posições de relatório PISA sobre educação | Internacional | Edição Brasil no EL PAÍS

Apesar dos esforços e os reiterados compromissos anunciados pelos Governos da região para fazer da educação sua bandeira política, os países da América Latina  apontaram um retrocesso nos níveis educativos nos últimos três anos, que os levou aos últimos postos da lista do Relatório PISA (Programme for International Student Assessment) sobre Educação 2012, divulgado nesta terça-feira pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). (...)

O Brasil está muito atrás no ranking, no posto 58, apesar de o relatório dedicar ao país um capítulo, intitulado “Lições esperançosas de um grande sistema federal”. A reforma da educação brasileira teve espaço em um contexto de “pobreza, ensino de má qualidade e currículo irrelevante”, diz o estudo, que pontua os estudantes brasileiros com 391 pontos em matemática, 405 em ciências e 410 em leitura.

O Brasil caiu três posições no ranking internacional que mede a corrupção | Politica | Edição Brasil no EL PAÍS

O Brasil caiu três posições no ranking internacional que mede a corrupção em 177 países publicado anualmente pela ONG Transparência Internacional. O país saiu do posto 69 para o 72, ficando atrás de nações vizinhas da América Latina como Costa Rica (posição 49), Porto Rico (33), Chile (22) e Uruguai (19). O primeiro da lista é a Dinamarca. Numa escala que vai de 0 a 100 (altamente corrupto a muito transparente), a nota do Brasil passou de 43 para 42 pontos. (...) Os dados mundiais mostram que 27% dos entrevistados afirmaram que pagaram propina para acessar serviços ou instituições públicas nos últimos 12 meses. As informações sobre esse dado não estão disponíveis para o Brasil.

Sober Look: Brazil's markets deteriorating on rising uncertainty

With the 2014 general elections coming up and economic conditions deteriorating, the markets have been pricing in a difficult year ahead. The fact that the upcomong FIFA World Cup could bring massive and possibly violent protests is not helping. The nation’s equity market has underperformed materially against both the global and emerging indices, down over 17% for the year.

Blue: Brazil BOVESPA, Green: iShares EM Index ETF

 Desemprego no Brasil ultrapassa os 20%

Segundo o IBGE, desemprego é: ”A população desocupada na semana de referência compreende as pessoas sem trabalho na semana de referência, mas que estavam disponíveis para assumir um trabalho nessa semana e que tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho no período de referência de 30 dias, sem terem tido qualquer trabalho ou após terem saído do último trabalho que tiveram nesse período.

Enquanto para o ex-prefeito [Cesar Maia] o índice de desemprego deveria incluir não só a taxa de desemprego, mas também outras categorias de empregos, como: as pessoas que ganham menos por hora do que o suficiente para ganhar um salário mínimo no final do mês, pessoas que cansaram de procurar emprego, pessoas não ligadas a população economicamente ativa mas que querem trabalhar e, por fim, pessoas subocupadas. O que esse índice de desemprego (com os critérios da União Europeia) faz é  medir a quantidade de desempregados mais a quantidade de pessoas que não trabalham da forma ideal, ou seja,  pessoas da PEA trabalhando no mínimo 40 horas semanais ganhando no mínimo um salário mínimo .

País tem 9,6 mi de jovens de 15 a 29 anos que não estudam nem trabalham

No outro extremo, um porcentual também alto, de 32,4%, sequer completou o ensino fundamental. O Nordeste é a região com maior proporção de jovens que não estudam nem trabalham, em todas as faixas etárias estudadas. Na faixa de 18 a 24 anos, Alagoas tem nada menos que 35,2% da população que não estuda nem trabalha. Na região metropolitana do Recife, o índice também é preocupante: 31,8% dos jovens de 18 a 24 anos não têm atividade produtiva.

Apenas 54% dos jovens de 15 a 17 anos frequentam o ensino médio

A proporção de crianças de 4 e 5 anos que estudam também está longe do considerado ideal pelo governo. Ela subiu que 56,7% para 78,2% em dez anos (entre 2002 e 2012), mas a meta é universalizar a educação nesta faixa etária até 2016. Ainda há quase 22% de crianças para serem levadas à escola. Na faixa de até três anos de idade, 21,2% das crianças estão nas creches e escolas. O Brasil tem que chegar a 50% até 2020. Os dados mostram que também será necessário melhorar as condições das escolas públicas.

Transferência de renda não reduz taxa de ocupação entre mais pobres - brasil - geral - Estadão

Na última década, a renda proveniente do trabalho perdeu peso no rendimento dos brasileiros mais pobres, graças aos programas de transferência de renda. No entanto, a taxa de ocupação entre pessoas desse grupo não caiu, até aumentou, segundo o estudo Síntese de Indicadores Sociais 2013, divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira, 29. (...)

Nas famílias com renda per capita de até um quarto de salário mínimo, perdeu importância a renda proveniente do trabalho (de 78,5% em 2002 para 58,5% em 2012), enquanto a participação de outras fontes de renda aumentou (de 14,3% para 36,3%). No entanto, a taxa de ocupação dessa fatia da população subiu de 76,9% em 2002 para 78,2% em 2012.

Já na faixa de renda per capita de um quarto de salário mínimo a meio salário mínimo, a participação do trabalho na renda saiu de 78,3% em 2002 para 72,3% em 2012, enquanto a fatia da renda obtida por outras fontes subiu de 6,5% para 12,9%. No mesmo período, a taxa de ocupação desse extrato populacional aumentou de 87,6% para 88,2%.

Sistema de saúde brasileiro fica em último lugar em ranking mundial (via Implicante)

De acordo com o documento, os brasileiros possuem uma baixa expectativa média de vida atualmente, em 73,4 anos. Apenas o Irã, a Argélia e a República Dominicana possuem valores piores que os brasileiros, no entanto, nenhum deles ficou abaixo dos 73 anos. Outro fator relevante que prejudicou a posição brasileira foi o alto custo per capita pago para a se obter qualquer tratamento. Atualmente, uma pessoa gasta em média por ano mais de 1.200 dólares (R$ 2.900) com os cuidados da saúde na Brasil.

Apesar de avanço social, Brasil não reduz índices criminais

De 2007 para cá, os principais indicadores que medem as desigualdades sociais e o crescimento econômico tiveram melhoras, contudo, isso não implicou na redução da taxa de homicídios por 100 mil habitantes, que hoje é de 24,3. (...) Nos Estados Unidos, a proporção é de 5 para 100 mil pessoas, enquanto que na maioria dos países europeus não chega a 3. (...) O Rio de Janeiro é o 15o mais violento e São Paulo, o 25o entre os 27 Estados brasileiros.

Enquanto isso, no campo econômico, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita brasileiro saltou de R$ 14.183, em 2007, para R$ 22.402 (9.589 de dólares) no ano passado. Nesse período, o desemprego caiu de 9,3% para 5,5%, perto do pleno emprego. Os índices de homicídios e de estupro, por sua vez, não recuaram. Ao contrário, nos últimos dois anos o país registrou seguidas altas desses indicadores. Com 47.136 ocorrências confirmadas em 2012, o Brasil conta, por hora, cinco homicídios. Já os casos de estupros chegaram a 50.617, uma proporção de 26, para 100 mil habitantes. Esse índice era de 22,1 há dois anos.

Homicídios por Estado e gastos com segurança | Media | EL PAÍS (mas convém observar o comentário acima sobre taxa de desemprego IBGE X UE, e a paridade do poder de compra)

Sete obras desatam o nó que estrangula a economia brasileira (via prof. Orlando Tambosi)

Essas obras servem para inverter a rota atual, que prioriza trajetos terrestres irracionais, seja por via rodoviária, seja pela ferrovia Malha Norte, entre Rondonópolis (MT) e o saturado Porto de Santos, em São Paulo. O terminal paulista e o Porto de Paranaguá, no Paraná, ao Sul, são hoje destino de 70% da soja e de 80% do milho do Estado de Mato Grosso. A lógica é aproveitar algo elementar: geograficamente, o escoamento da produção proveniente do paralelo 16 – uma linha imaginária que corta uma área que vai da capital mato-grossense Cuiabá ao norte da Bahia, no Nordeste – tem mais viabilidade econômica pelos portos do Norte do que via Sudeste ou Sul.

“Da maneira como a infraestrutura está estruturada hoje temos um sistema perde-perde. O agricultor perde parte do que poderia receber por causa do custo do frete. O consumidor acaba pagando mais pelo produto. E quem transporta a carga também perde, pois a gasto de trafegar pelas estradas brasileiras é muito alto”, afirma Seneri Paludo, diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato).

Rede pública perde participação entre as escolas top do Enem (lembrando que todas as públicas 'top' são colégios técnicos e militares, que tem vestibulinho para entrar...)

Dados do Ministério da Educação mostram que em 2012 só 6,6% dos colégios entre os 10% melhores eram públicos. Em números absolutos, são 74 instituições, entre as 1.124 da elite do país --lista liderada pelo colégio Bernoulli, particular de Minas. No ano anterior, eram 7,9% públicas entre as melhores. A participação cai desde 2009, quando a prova foi ampliada e passou a selecionar calouros para universidades federais.

Dois terços dos alunos de 15 anos no Brasil não entendem frações - Jornal O Globo

No Brasil, mais de dois terços dos quase 20 mil estudantes que fizeram a prova ficaram na faixa que vai até o nível dois, ou seja, bem abaixo na tabela. Nesse nível, eles conseguem interpretar e reconhecer situações em contextos que exigem apenas a inferência direta, além de fazerem interpretação literal dos resultados. Mas para por aí. Mais de 65% dos estudantes brasileiros não conseguem analisar um gráfico ou uma situação do cotidiano e traduzir o problema para modelos matemáticos. (...)
Cláudio Landim também ressaltou que grande parte da dificuldade dos alunos em entender gráficos simples ou tabelas vem da deficiência em Leitura, outra área analisada pelo Pisa:
- Quando participamos da Olimpíada Brasileira de Matemática, percebemos que a dificuldade do aluno é compreender o que está sendo perguntado. É compreensão do texto, puramente isso. Uma grande parcela não consegue responder porque não entende o que está lendo. A compreensão textual tem impacto significativo na Matemática.

Indústrias brasileiras inovaram menos

De um universo pesquisado de 128.699 empresas, 45.950 implementaram no período produtos ou processos novos ou bastante aprimorados, o que corresponde a uma taxa geral de inovação de 35,7%. O resultado é inferior ao da Pintec anterior, relativa ao período de 2006 a 2008, que registrou taxa de inovação de 38,1% – e ligeiramente maior que os 34,4% obtidos na pesquisa com dados de 2003 a 2005. (...)
Outro indício de que mais empresas estão mais mobilizadas para fazer pesquisa e desenvolvimento foi o avanço da queixa sobre a falta de pessoal qualificado no ranking de gargalos à inovação. No caso da indústria, o problema era o sexto mais relevante no período de 2003 2005. Passou a ocupar a terceira posição no período 2006-2008. Já na Pintec 2011, foi o segundo mais importante para a indústria: 72,5% delas atribuíram importância alta ou média à falta de pessoal qualificado, obstáculo apenas superado pelo custo de inovar, apontado por 81,7% das empresas do mesmo segmento.

América Latina, onde abundam os empresários e faltam inovadores

Entre os motivos listados no relatório estão incluídos a deficiência na formação de capital humano, a baixa competitividade dos serviços básicos, como comunicação, transporte e logística, e um ambiente econômico e institucional desfavorável. "Na região, aparentemente, os investidores se sentem menos seguros do que em outras regiões porque as regras do jogo mudam com muita frequência e os sistemas judiciais não se modernizaram para tratar de questões relacionadas com temas ligados à propriedade empresarial", explicou o economista Augusto de la Torre.

A soma desses fatores não só afeta a produtividade e o crescimento das empresas na região, (...) mas incide em sua capacidade de gerar empregos de qualidade que promovam o desenvolvimento.

De 8 mil cursos avaliados em 2012, só 98 têm nota de excelência

Apenas 98 dos mais de 8 mil cursos avaliados pelo Ministério da Educação em 2012 conseguiram atingir o conceito cinco, considerado de excelência. Todos eles pertencem a universidades e 34 estão em instituições públicas. O Estado de São Paulo concentra a maioria deles, 34.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Para os amigos, tudo. Para os inimigos, a lei.

O Centro de Tradições Nordestinas (CTN), entidade sediada em São Paulo, terá de devolver R$ 4,8 milhões aos cofres públicos em razão do mau uso do dinheiro que recebeu do Ministério da Ciência e Tecnologia, em 2006, para desenvolver um projeto no Pará. O CTN é administrado pela família Abreu, uma das donas do Hotel Saint Peter, em Brasília, novo local de trabalho do ex-ministro José Dirceu, caso ele receba a autorização da Justiça. O CTN foi fundado pelo presidente do PTN, José Masci de Abreu, e é presidido pela filha dele, Renata Abreu. A entidade e o partido têm a mesma sede administrativa, em SP. O irmão de José de Abreu, Paulo Masci de Abreu, é filiado ao PTN e aparece na sociedade do Saint Peter.
Emissora de TV do futuro chefe de Dirceu foi beneficiada pela Anatel
O futuro chefe do ex-ministro José Dirceu, o empresário Paulo de Abreu, foi beneficiado nesta semana com uma medida do governo aprovada mesmo contra relatórios elaborados por técnicos. Abreu ganhou o direito de transferir antenas da Top TV --uma de suas emissoras-- do município de Francisco Morato para a avenida Paulista, em São Paulo.
Dono do hotel Saint Peter, que contratou Dirceu sexta-feira, e de várias rádios e TVs, ele é filiado ao PTN, integrante da coligação da presidente Dilma Rousseff em 2010.
Cabe lembrar que a versão duplipensante de imparcialidade nos obriga a buscar um escândalo na oposição para cada escândalo que atinja os partidos governistas, de forma que alguma parametrização, por mais tosca que seja, os iguale. Isso explica o desespero em emplacar essa outra notícia (note os partidos envolvidos, aliás) como mais relevante, e vale até forjar headline para incluir desafetos.

Update 2013.11.29: Meu comentário acima não foi muito claro. É óbvio que esse caso do helicóptero deve ser apurado, e aliás o caso é ainda pior do que pareceu a princípio, evolvendo, como sói, grana dos pagadores de impostos. Minha crítica é tentar associar os escândalos a adversários políticos enquanto objetivamente ainda não há tal conexão. O que sobra são conjecturas e fraudes de documentos e notícias.

Alguns escândalos possuem um matiz partidário, outros não; alguns estão associados objetivamente a políticos graúdos, outros não.  Devemos criticar e exigir dureza a todos, dentro de nossas possiblidades e disposição. Ademais, há partidos mais impudicos que outros em forjar, mentir e reescrever a história; há partidos que afastam e há os que afagam seus delinquentes (exemplo1, exemplo2, exemplo3, exemplo4, exemplo5). Não podemos atribuir a mesma confiança a todos, mesmo devendo desconfiar sempre. A tal isonomia implica em não ver a cor ideológica dos meliantes -- enquanto o que temos assistido é à tentativa de pintar equitativamente os escândalos entre os partidos. Há quem antes busque a ideologia do criminoso para só então se posicionar quanto ao crime. E quando o argumento não convence, gritam "tu quoque!". A patrulha faz parte do discurso hegemônico.

E por último, dois trechos de um discurso do Lula, no 3o congresso do PT, em 2007:
"E o mais importante: nenhum petista tem que ter vergonha de defender um companheiro” 
“Ninguém tem mais autoridade moral, ética e política do que o nosso partido”.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Plaestra sobre o JET programme -- Consulado Geral do Japão em São Paulo

Mensagem recebida por e-mail:
O JET Programme (abreviatura de “The Japan Exchange and Teaching Programme”), é um programa realizado pelas repartições públicas japonesas com o apoio dos Ministérios de Administração Pública, Assuntos Internos, Correios e Telecomunicações (SOUMU), dos Negócios Estrangeiros (MOFA), da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia (MEXT) e do Conselho de Autoridades Locais para Relações Internacionais (CLAIR).
Através do JET Programme jovens estrangeiros de mais de 40 países são convidados para trabalharem nas repartições públicas locais do Japão e atuarem na internacionalização regional através de atividades de intercâmbio cultural e ensino de língua estrangeira.
Se você já é formado ou está para se formar este ano e tem grande interesse na cultura e sociedade japonesa, venha fazer parte do JET Programme, reconhecido como um dos maiores programas de intercâmbio do mundo!!!
Os aprovados serão contratados por repartições públicas locais do Japão e atuarão como Coordenador de Relações Internacionais (CIR) por um período de 1 ano (renovável por no máximo 5 anos, dependendo do órgão contratante).
Para maiores detalhes sobre o JET Programme e pré-requisitos para se candidatar, vide panfleto  ou acesse o site do Consulado Geral do Japão em São Paulo:
http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/cultura/jet.htm
Depto. de Assuntos Culturais e de Imprensa
TEL: 11-3254-0100, ramal 355 -- Atendimento de seg. a sex., das 9h às 12h ou das 13h30 às 17h.
Av. Paulista, 854, 3º andar, São Paulo, SP

domingo, 10 de novembro de 2013

Brazilian rage at NSA was the sincerest form of flattery

Many people applauded the strong words Brazilian president Dilma Roussef directed at the US, but we should not forget that actions speak louder. And when politics is involved, we can give up any hope of coherence.
Brazil orders Google to hand over Street View data (here you can find the news in portuguese)
Brazilian judges have given US Internet search giant Google until Saturday to turn over private data collected through its Street View program, press reports said Thursday.
Bill Would Allow Brazil to Decree Local Internet Data Storage
Brazil is pushing ahead with legislation that would force global Internet companies such as Google and Facebook to keep data on Brazilian users inside the country, despite opposition from the companies and in Congress. A draft bill made public on Tuesday would grant President Dilma Rousseff decree powers to order companies to set up data centers in Brazil to store personal information on their users as a way of curbing U.S. spying.
The Statesman: Rousseff wants Web servers to be housed in Brazil
President Dilma Rousseff met earlier this week with the Bill's sponsor, Deputy Alessandro Molon of the governing Workers Party, and asked that he insert language into the Bill that would force Internet companies to keep their servers on Brazilian soil if they want to do business in the country, the lawmaker's office said. That would force companies to follow Brazilian privacy laws for the information on those servers.
A Molon spokesman, who would not allow his name to be used because he wasn't yet authorised to speak on the matter, said the legislator and his team were ironing out the exact language to be included in the Bill. The president’s office confirmed that Ms Rousseff met with Molon and Communications Minister Paulo Bernardo Silva on Tuesday, but referred all questions about the meeting to the legislator and the minister. After hours calls to the ministry rang unanswered.
Brazil Wants National 'Antisnoop' Email
The Brazilian government asked Correios (the Brazilian mail agency) to develop a national email system. Scheduled to be launched in the second half of 2014, it will be aimed at commercial security against "snooping." The plan is to create a Brazilian alternative to the popular Hotmail, of Microsoft, and Google's Gmail. The agency had been working on an electronic mailing system for commercial purposes which would include a delivery certification when read by the addressee. (...)
"When I send you an email and I want nobody to snoop. Last year, the U.S. made 311 requests (to companies). They aren't working in the retail market," Brazil's Communication Minister Paulo Bernardo told Folha. "It's necessary to encourage a safer email service." After the cases of espionage by the American government became public, Brazil's Communication Ministry requested the project be expanded into a national service. The government believes that the current services have proved to be vulnerable since Edward Snowden disclosed secret National Security Agency (NSA) documents, showing that American companies are obliged to supply their users' data.
Report - Brazil Monitored French Spies
Brazil's intelligence agency monitored French spies it suspected of involvement in the 2003 explosion at a satellite launch base, the Folha de S. Paulo newspaper said Tuesday, though it was finally determined they played no role. (...) When the explosion occurred, killing 21 engineers and technicians, suspicion fell on the French. Citing unnamed sources, the newspaper said the agency known as ABIN carried out at least three operations against what it called a "network of spies" from France's foreign intelligence agency and its activities in the French-Brazilian Technical and Scientific Cooperation Center and in Brazil's National Space Research Institute. But it said no evidence of sabotage was found and the explosion finally was blamed on poor maintenance and mechanical failures.
Report - Brazil Spied on Embassy Personnel
The Brazilian government confirmed Monday that its intelligence service targeted U.S., Russian, Iranian and Iraqi diplomats and property during spy activities carried out about a decade ago in the capital Brasilia. (...) Brazil's Institutional Security Cabinet, which oversees the Abin intelligence service, said in an emailed statement that all the operations cited in the Folha report "follow Brazilian law for the protection of national interests." (...)
In Monday's statement, Brazil's Institutional Security Cabinet said it planned to prosecute anyone who may have leaked the documents to the Folha newspaper. (...) The Folha report detailed at least 10 intelligence operations carried out in Brasilia in 2003-04, just as former President Luiz Inacio Lula da Silva was settling into office.
Other targets included diplomats from the Russian, Iranian and Iraqi embassies, who were followed and photographed as they came and went from embassies and official residences. In particular, Abin was interested in Russian officials involved in negotiating arms deals in Brazil, and followed Iran's ambassador to Cuba as he visited Brazil.
Brazil Says It Spied on U.S. and Others Inside Its Borders
Still, the report focuses new attention on Abin, an agency that has drawn scrutiny for being caught by surprise by the huge street protests that shook Brazilian cities in June and for quietly ousting an agent suspected of passing secrets to the Central Intelligence Agency. Active intelligence officials have also publicly criticized the agency for prioritizing surveillance of Brazilian social movements. (...) Brazilian intelligence officials insisted in their statement that Abin’s operations were intended to defend “national sovereignty.” Referring to the revelations in the newspaper report, they also said that the leaking of classified material was illegal and that those responsible for doing so would be held accountable under Brazilian law.
Abin espionou jornalistas durante governo Lula (in portuguese only. Iit describes how the Brazilian inteligence agency has been purportedly used to spy journalists and media companies since 2004. This other commentary raises the possibility of the spying in Brasil being much more widespread, waiting for another Snowden to uncover it):
Um documento da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que descreve detalhes de uma queda de braço travada entre um agente e seus superiores durante o governo Lula, tem valor histórico inestimável. Esse documento, hoje arquivado, é a evidência oficial mais forte até aqui de algo que agentes confidenciavam a jornalistas, mas não podiam provar: o governo Lula espionou a imprensa. O texto revela que houve uma “Operação Mídia”, ação clandestina de espionagem de jornalistas e donos de empresas jornalísticas. VEJA teve acesso ao documento de seis páginas no qual o tenente-coronel André Soares revela a existência da operação ilegal.
So, to "counter" international spying what Ms. Roussef and her government propose is to force internet companies to store data in Brazil (it wouldn't prevent said data from being also under NSA's reach, in the US) and to create a governent e-mail system (we know our data would be safe with them, right?). To me it looks like they are just seizing the moment to implement their own surveilance under the guise of "protection against international interests", their favorite enemy. The Brazilian government  has indeed a very poor relation with individual freedoms, being one of the worst offenders against google for instance (see below, or twitter info) and having a strong tendency to prohibit whatever might be considered offensive -- which encourages people to be offended very easily.
Some more links below.
Battle Over Biographies Rages in Brazil
Now, Veloso is taking a shellacking from the press and his fan base alike, who say he's endorsing censorship by leading the defense of a wide-ranging law that allows Brazilians to block or pull from the shelves any biographical work about them that was created without their consent.
With Brazil's publishers mobilizing to repeal the restrictions, Veloso, romantic crooner Robert Carlos and other singers who became famous under the dictatorship have banded together to defend the 2003 law, which empowers Brazilians to quash works they consider attacks on their "good name or respectability."
That means objections by a biography's subject are enough to get the books removed or even keep them from reaching stores, with many publishers not printing a book if it's not explicitly endorsed by a subject. The law also applies to films and other media, though the debate and legal actions have focused on books. Critics say it is possibly the most extreme law regulating privacy and intellectual property among democratic nations.
Why the NSA Watches Brazil
Not coincidentally some of the world's least free countries are President Rousseff's most important foreign-policy partners. In a September Miami Herald column titled "Why We Spy on Brazil," Cuban-born writer Carlos Alberto Montaner transcribed a conversation with an unnamed U.S. ambassador. The diplomat explained: "The friends of [Lula], of Dilma Rousseff and the Workers Party are the enemies of the United States: Chavist Venezuela, first with (Hugo) Chávez and now with (Nicolás) Maduro; Raúl Castro's Cuba; Iran; Evo Morales' Bolivia; Libya at the time of Gadhafi; Bashar Assad's Syria." He also noted that "in almost all conflicts, the Brazilian government agrees with the political lines of Russia and China." The Brazilian relationship with Cuba is especially troubling. Instead of showing solidarity with Cuba's victims of oppression, the diplomat noted, "former president Lula da Silva often takes investors to the island to fortify the Castros' dictatorship. The money invested by the Brazilians in the development of the superport of Mariel, near Havana, is estimated to be $1 billion."
Press Freedom in Brazil: Sound the Alarm
The recent increase in acts of censorship of and violence against journalists in Brazil underscores a disturbing trend of government apathy. While Brazilian journalists are being threatened, beaten, and even killed, Brazil’s leaders offer their condolences but do little to rectify the problem, sometimes even contributing to it. In more than 70 percent of the murders of journalists in Brazil in the past 20 years, the killer walked away without a jail sentence.[23] This troubling level of impunity could lead to self-censorship by frightened reporters, and demonstrates just how little has been done to protect journalists. Brazil’s press is still relatively free, especially compared to some of its neighbors, but Brazilian supporters of press freedom should definitely begin sounding the alarm.
Google transparency report about Brazil:

Why Rio’s ‘Favelas’ Disappeared On Google Maps
In the run-up to the 2014 World Cup and 2016 Olympic Games, Brazilian tourist boards and Rio’s city hall have been keen to maintain a squeaky-clean image not only in the real world but the digital one as well. So much so, that they asked Google to remove the word “favela” from its city maps. The term itself means slum or shantytown in Portuguese. Hundreds were previously identified as such on maps, but are now labeled as “morros” or hills. Officials believe the change will reduce the prominence given to the favela communities, which they said were given greater importance on maps than conventional neighborhoods like Humaita and Cosme Velho.
Brazil | Freedom House
In late 2012 and early 2013, a spate of legal cases concerning intermediary liability drew worldwide attention to Brazil’s internet policies. In September 2012, a Brazilian electoral court issued arrest warrants for two senior Google Brazil executives, Edmundo Luiz Pinto Balthazar and Fabio Jose Silva Coelho, for failure to remove content prohibited under electoral law. The executives were accused of violating a vague provision that bans campaign material which “offend[s] the dignity or decorum” of a candidate.
(Ups, postei por engano aqui -- esse post deveria aparecer no meu outro blog, que é em inglês. Mas vou deixá-lo aqui, assim mesmo, perdoem-me...)

sábado, 2 de novembro de 2013

Argumentar no Brasil é tão fácil que nem precisa pensar

Blog de Ricardo Noblat:  O Globo

A internet se encheu de gritos de maldição contra os articulistas e o jornal que os contratou, leitores anunciaram que cancelariam as suas assinaturas e, fato inusitado, a coluna de estreia de Azevedo, sobre a ação de libertação dos beagles de um instituto de pesquisas científicas, levou a ombudsman do jornal a classificar delicadamente o colunista como um “rotweiller”- o que ela explicou depois, claro, era só uma força de expressão.

Um caso claro de intolerância ideológica, que pode ser facilmente curado por duas providências simples: ou deixar de ler o jornal ou continuar lendo o jornal mas não ler os colunistas desagradáveis. Rebater argumentos e tentar provar com fatos que os deles estão errados e que os seus estão certos nem pensar. Isso dá muito trabalho. Negar em bloco e chamar de “fascista” facilita a vida. Desqualificar sempre, debater nunca. (...)

Mais grave do que isso foi o que aconteceu numa feira literária em Cachoeira, no interior da Bahia, quando ativistas armados apenas pelas suas bordunas de intolerância intelectual impediram, aos gritos, que se realizassem os debates entre o sociólogo Demétrio Magnoli e a cientista social Maria Hilda Baqueiro Paraíso e o filósofo Luiz Felipe Pondé e o sociólogo francês Jean -Claude Kafmann.

Magnoli e Pondé foram impedidos de falar - como Yoani Sanchez já havia sido impedida meses atrás - por pessoas que os xingavam de “fascistas”. Exemplo perfeito daquilo que os franceses chamam de “glissement semantique”- ou deslizamento de sentido das palavras.

O bico do tentilhão: Resenha: "Esquerda Caviar" do economista carioca Rodrigo Constantino

Muitos esquerdistas, por motivos diversos, não veem problema em defender o socialismo e servir-se dos recursos abastados que o capitalismo lhe proveu ou que apenas ele pode prover ("ser de esquerda não é fazer voto de pobreza" disse Sakamoto certa vez). Contudo, resta a pergunta: como o sujeito, dado seu referencial teórico (o socialismo), pode condenar o acúmulo de riqueza, pois segundo ele, "a 'mais-valia' é roubo" e condenar o método pelo qual qualquer um pode chegar à riqueza (o capitalismo de livre mercado) e deleitar-se com vinhos caros, viagens chiques e produtos eletrônicos oriundos de empresas "exploradoras" que "destroem o meio ambiente"?

O Pensador Coletivo -- Demétrio Magnoli

Um centro político define pautas, escolhe alvos e escreve uma coleção de frases básicas. Os militantes as difundem, com variações pequenas, multiplicando suas vozes pela produção em massa de pseudônimos. No fim do arco-íris, um Pensador Coletivo fala a mesma coisa em todos os lugares, fazendo-se passar por multidões de indivíduos anônimos. (...)

O Pensador Coletivo se preocupa imensamente com a crítica ao governo. Os sistemas políticos pluralistas estão sustentados pelo elogio da dissonância: a crítica é benéfica para o governo porque descortina problemas que não seriam enxergados num regime monolítico. O Pensador Coletivo não concorda com esse princípio democrático: seu imperativo é rebater a crítica imediatamente, evitando que o vírus da dúvida se espalhe pelo tecido social. (...)

O Pensador Coletivo abomina argumentos específicos. Seu centro político não tem tempo para refletir sobre textos críticos e formular réplicas substanciais. (...) O Pensador Coletivo interpreta o debate público como uma guerra. "A guerra de guerrilha na internet é a informação e a contrainformação", explica o deputado André Vargas, um chefe do MAV. No seu mundo ideal, os dissidentes seriam enxotados da praça pública. (...) O Pensador Coletivo é uma máquina política regida pela lógica da eficiência, não pela ética do intercâmbio de ideias.

O perigo das minorias violentas | Paulo Roberto Silva no Amálgama

Contudo, a vanguarda formada em dez anos de mobilização pós-moderna viu nos seus novos parceiros um perigo, e confundiu as coisas. Desencadeou-se a campanha contra os “coxinhas”, que atuou para desmobilizar de imediato e retomar o movimento apenas com velhos companheiros. (...)

Na falta de massas, os ativistas entraram na onda de glamourizar os black blocs. Assim, são black blocs para defender os professores grevistas do Rio de Janeiro, black blocs para invadir o Instituto Royal e destruir pesquisa científica. Eles se tornaram o braço armado do movimento social. (...) Ao invés de promover a autodefesa do movimento, como dizem seus defensores, os radicais, black blocs ou não, se envolveram na destruição de pesquisa científica ao invadir o Instituto Royal, na invasão de salas de aula de Medicina, em ações que interromperam o fluxo de trens na periferia de São Paulo em pleno horário de pico e no bloqueio do debate com intelectuais contrários ao movimento, como o que aconteceu com Demétrio Magnoli e Luís Felipe Pondé na Flica.

Folha de S.Paulo - Cotidiano - Violência de 'black blocs' é 'uma barbárie', afirma Dilma a rádios do Paraná - 30/10/2013

"Eu defendo qualquer manifestação democrática. Agora, sem sombra de dúvida, eu acredito que a violência dos mascarados não é democrática, é antidemocrática, é uma barbárie, e acho que ela tem de ser coibida", afirmou, em entrevista às rádios Banda B e Cultura.

Dilma repudia manifestação ‘fascista’ no país - Jornal O Globo

Em entrevista concedida na manhã desta sexta-feira a duas rádios da capital baiana, onde esteve para inaugurar uma via expressa, que liga a BR-324 ao Porto de Salvador, a presidente reafirmou seu apoio a manifestações pacíficas, mas repudiou o uso da violência.

— Nós devemos repudiar, mais do que o uso da violência, o fato de estarem tampadas as faces das pessoas que destroem patrimônio público e privado, provocam ferimentos, machucam e mostram não a civilização e a liberdade da democracia, mas a barbárie. (...) Tem vários lugares do mundo que o método é simplesmente você isolar os manifestantes que fazem esse vandalismo e deixar claro quem são, prendê-los e, obviamente, processá-los. A base da democracia é que cada um, do ponto de vista da lei, responda pelos seus atos.

fonte: Estadão
.fonte: Estadão

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Capitalismo entre amigos

‘Eike, emblema e indício’, um artigo de Demétrio Magnoli no Estadão | Augusto Nunes

Eike Batista valia US$ 1,5 bilhão em 2005, US$ 6,6 bilhões em 2008, US$ 30 bilhões em 2011 e US$ 9,5 bilhões em março passado, depois de 12 meses em que seu patrimônio encolheu num ritmo médio de US$ 50 milhões por dia.(...)

A história de Eike é, antes de tudo, um emblema do capitalismo de Estado brasileiro. Durante o regime militar, Eliezer Batista circulou pelos portões giratórios que interligavam as empresas mineradoras internacionais à estatal Vale do Rio Doce. Duas décadas depois seu filho se converteu no ícone de uma estratégia de modernização do capitalismo de Estado que almeja produzir uma elite de megaempresários associados à nova elite política lulista. (...)

Dez anos atrás o BNDES não era “o melhor banco do mundo”. Alcançou essa condição por meio de uma expansão assombrosa de seu capital deflagrada no final do primeiro mandato de Lula da Silva. A mágica sustentou-se sobre o truque prosaico da transferência de recursos do Tesouro Nacional para o BNDES.  (...)

A saga da célere ascensão e do ainda mais rápido declínio do Grupo X contém uma profusão de pistas, ainda não exploradas, das relações perigosas entre o círculo interno do lulismo e o mundo dos altos negócios. Na condição de “consultor privado”, em julho de 2006 o ex-ministro José Dirceu viajou à Bolívia, num jatinho da MMX, exatamente quando o governo de Evo Morales recusava licença de operação à siderúrgica de Eike. Nos anos seguintes, impulsionado por um fluxo torrencial de dinheiro do BNDES, o Grupo X atravessou as corredeiras da fortuna. Durante a travessia, em 2009 o empresário contou com o beneplácito de Lula para uma tentativa frustrada de adquirir o controle da Vale, pela compra a preço de oportunidade da participação acionária dos fundos de pensão, do BNDES e do Bradesco na antiga estatal. Naquele mesmo ano o fracasso de bilheteria Lula, o Filho do Brasil, produzido com orçamento recordista, contou com o aporte de R$ 1 milhão do empreendedor X.

5 lições da queda do Império X para o Brasil - Luciano Sobral - Estadao.com.br...

Ainda está para chegar uma conta precisa do prejuízo do grupo X para o Tesouro Nacional. (...) A tentação de criar atalhos para um mercado de crédito ainda tímido e acelerar a consolidação de alguns mercados esbarrou em interesses políticos e baixa capacidade de execução. O aumento na dívida bruta e a consequente piora da percepção da qualidade do crédito soberano, a carteira da BNDESPAR repleta de ações subscritas a preços que não fazem sentido mesmo para o nível de otimismo manteguiano e o embaraço de políticos abraçando Eike e declarando-o como símbolo do “Brasil que dá certo” serão legados inconvenientes para o governo nas próximas eleições e para a economia nos próximos anos. (...)


O “império X” criou milionários [...] antes da OGX extrair seu primeiro barril de petróleo. Pior ainda que isso tenha envolvido a chancela do governo, se não tanto com dinheiro, com legitimação dos projetos. Se é verdade que no capitalismo brasileiro faltam empreendedores, os incentivos mostrados nesse caso apontam que vale mais ter boas conexões e relações públicas do que entregar retornos e, depois, colher os frutos. Não é esse tipo de empreendedor que o país precisa criar, mas talvez seja dos poucos viáveis, ou que nossas intistuições incentivam.

.

Fonte

Fonte

Fonte

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails